Como está a sua satisfação com os resultados de sua comunidade? Está satisfeito com a justiça ao ser humano? E quanto às condições de vida das pessoas ao redor do mundo? Ao redor de sua igreja? Dentro dela?

No último artigo, falamos sobre a elaboração e a comunicação da Visão para a igreja. O texto foi inspirado nas respostas do Pr Bill Hybels, em um evento de mentoria de líderes realizado recentemente no Brasil.

Esta semana, vamos dar continuidade no compartilhamento de lições do pastor sênior da Willow Creek Association, contribuindo com o olhar do Coaching Cristão e  contextualizando com a nossa realidade brasileira.

Quando falamos de Visão, estamos nos referindo a um futuro ideal, uma realidade melhor do que a atual; no meio cristão, é geralmente resultado da percepção do homem sobre a vontade de Deus realizada para um determinado grupo ou contexto. Assim, não podemos falar em uma realidade ideal, sem falarmos também da realidade “real” deste mesmo grupo ou contexto.

Esta é a chamada “realidade indefensável” (Hybels) ou insustentável, isto é, a situação atual explícita ou camuflada que contraria o Reino de Deus e a sua justiça, tornando impossível continuarmos em nossa rotina e vivermos sem fazer algo pelo ser humano e pela criação.

A realidade insustentável

A rotina e a cultura de consumo nos leva a trabalharmos cada vez mais apenas por nós mesmos e produzirmos somente aquilo que seja conveniente ao bem estar momentâneo de nossas famílias e nosso ego.

O mundo está clamando por amor, justiça e paz – por ‘acaso’, atribuições do Reino de Deus (Rm 14:17). E não é preciso ir longe para percebermos os sintomas do desamor, como angústia, violência, tristeza, revolta e desilusão. Basta olhar para as favelas nas proximidades da igreja em que crianças não têm refeições dignas ao longo do dia; ou para os jovens da escola da vizinhança sendo seduzidos pelas drogas e prostituição; ou para os bares vizinhos cheios de pais e mães de família viciados na bebida e ausentes de seus lares; ou ainda para as pessoas adoecidas de nossas igrejas que atuam alienadamente em seus contextos desconectados de suas vocações e sem causar o menor impacto onde estão.

Conhecendo as necessidades

Então vêm as perguntas: como o pastor e os líderes conhecerão essas necessidades e saberão onde será mais coerente atuar? Como cuidar e desenvolver as pessoas de dentro e de fora da igreja?

A resposta é simples: indo a campo e saindo às ruas, abrindo os olhos e respondendo: o que podemos, como discípulos de Jesus, fazer por este ambiente (dentro e fora das paredes da igreja)?

As comunidades nas quais nossas igrejas e residências estão inseridas possuem diversas necessidades, em diversas áreas. A igreja local pode ser o canal de Deus para elas, oferecendo respostas e amparo para estas pessoas.

Sensibilizando a igreja

Depois de o líder ir a campo, Hybels passa uma lição de casa: “começar escrevendo uma lista de razões por que não podemos continuar como estamos e onde estamos.” São os itens desta lista que estimularão a percepção de que a realidade é, de fato, insustentável e que convencerão a equipe a se engajar pela solução.

Engajamento despertado, já é hora de apresentar a resposta para os problemas levantados: a Visão. É por ela que os líderes, as equipes e os voluntários trabalharão e dedicarão seus esforços pelos próximos anos.

É com esta realização que muitas vidas, de dentro e de fora da igreja, terão suas histórias transformadas espiritual, emocional e fisicamente para sempre.

Que você se sinta agora desafiado e encorajado a orar a Deus pedindo que abra seus olhos para ver o que Ele vê, começar a sonhar com as respostas e engajar sua equipe na realização de Sua vontade para a sua comunidade.

Que Deus te abençoe!

Este é o segundo artigo da série inspirada na palestra de Bill Hybels no Brasil.

Leia também o primeiro artigo desta série: O Poder da Visão

Leia também o terceiro artigo desta série: Formando Equipes


 

Quer aprender a clarear e planejar a Visão?

FAÇA A FORMAÇÃO EM COACHING CRISTÃO